“Tenho de falar sobre o abuso à minha família ou às pessoas mais próximas?”


A partilha de uma história de abuso é uma opção pessoal que cabe ao homem sobrevivente. Só ele pode decidir se faz esta partilha, com quem a faz, em que circunstâncias e que quantidade de informação opta por divulgar.
Muitos homens perguntam-se acerca deste momento, questionando-se se devem fazê-lo ou se devem guardá-lo para si. Não existe uma resposta certa. Há sobreviventes que optam por partilhar com as pessoas mais próximas, outros que decidem manter para si essa história.
Partilhar com alguém a sua história é um momento decisivo na sua vida, é um ato de coragem e de força. No entanto, é comum não saber como agir aquando da partilha, por não saber o que dizer ou também por desconhecer a forma como será recebido. Muitos homens receiam que as pessoas mais próximas passem a olhá-los como alguém “fraco”, alguém que foi vítima, e que passem a ser vistos unicamente através da história de abuso. São receios naturais que se prendem com a desinformação, preconceito e tabu associados à violência sexual contra homens e rapazes. Relembramos que esta é uma decisão individual e é um direito seu não partilhar.
Se tiver decidido partilhar com alguém, sugerimos que escolha um local seguro, confortável e onde se sinta à vontade para falar, com tempo e sem preocupações. E porque este processo pode ser carregado de emoções e sentimentos intensos, pode ser importante tirar uns minutos para si num espaço igualmente seguro, que lhe permita organizar as ideias, perceber o que está a sentir e valorizar o acto de coragem e de força que foi partilhar a sua história.
Se tiver questões relacionadas com esta decisão, contacte-nos através do apoio@quebrarosilencio.pt.