“Mulheres e raparigas não podem abusar sexualmente de um homem ou de um rapaz”


As raparigas e as mulheres também podem ser abusar sexualmente de homens e rapazes. Ainda que as estatísticas indiquem que a maioria dos abusadores são homens, há casos onde o abusador do crime de abuso sexual é uma mulher.

O facto de o abusador sexual ser uma mulher não implica que a experiência seja menos traumática para o homem ou para o rapaz, nem faz com que os homens e rapazes possam ser considerados “sortudos”.

Acreditar que é impossível para uma mulher abusar sexualmente de um homem é alimentar uma ideia errada que complica a possibilidade dos homens e rapazes reconhecerem que experienciaram uma situação de violência sexual. Este mito contribui, ainda, para que os próprios homens sobreviventes não reconheçam o abuso como crime, que seus casos sejam mal diagnosticados ou que passem despercebidos.