J. T. – 67 anos


Sou o J. T., um português a viver no Canadá, testemunhando a minha boa experiência na Quebrar o Silêncio.

Fui abusado sexualmente pelo meu irmão mais velho quando eu tinha os meus 4 ou 5 anos de idade. Mais tarde, na minha adolescência, continuei a ser abusado, desta vez por uma mulher que tinha o dobro da minha idade.

Venho de uma família muito pobre e cresci num ambiente familiar com disfunção de educação e princípios morais. Presenciei os meus pais a terem relações sexuais contra a vontade da minha mãe, como tal, a minha mãe era violada na presença dos filhos. O meu irmão na altura tinha 16 anos, faltava ao respeito e quando se embebedava batia no meu pai. Eu teria na altura entre 5 ou 6 anos – cresci no medo do terror.

Passaram-se anos desses momentos que ficaram para trás e achei que essas memórias iriam ficar no esquecimento.

Casei aos 22 anos, constituí família e jamais recordei os tais momentos. Aos 55 anos de idade fui avô então e a partir dessa altura quando olhava para meus netos imaginava a mim próprio quando eu era pequenino. Imaginava-me a mim próprio, nos tempos em que era assim tão indefeso, e voltaram à minha memória esses tempos de angústia, de tristezas sem ter o apoio que meus netos e filhos têm hoje.

Um dia estava aqui a ver um programa de tv, acho que era na SIC, onde falavam em ajuda psicológica grátis para homens como eu. Parece que acordou algo que estava dentro de mim.

Tive várias sessões de apoio psicológico com a Drª Mariana, o que me fez tornar uma outra pessoa e me fez compreender que a culpa não foi minha e me tirou toda a raiva que existia dentro de mim. Fico muito grato, jamais imaginei que seria possível.

Tenho 67 anos e sinto-me realizado na vida. Sou feliz, sou pai, marido, avô, compadre e amigo de todos graças a Deus e à vossa ajuda.