2 anos de Quebrar o Silêncio por Cláudia Caires


É com orgulho que vejo a Quebrar o Silêncio celebrar o seu segundo aniversário. Para mim, dois anos de Quebrar o Silêncio representam dois anos de crescimento enquanto pessoa e enquanto profissional, dois anos de aprendizagens diárias a dar voz aos que ainda não a têm. Desde o seu início, esta associação tem sido uma tábua de salvação para muitos dos homens que por ela passam, e sinto que posso dizê-lo porque tive o privilégio de acompanhar o processo de mudança e o crescimento de alguns deles, desde o início difícil da sua caminhada até ao momento em que se levantaram da cadeira em frente à minha pela última vez, com esperança renovada e vontade de viver. Posso dizê-lo porque muitos deles mo disseram, começando a frase com um “obrigado” e encerrando-a com um “salvaram-me a vida”.

“salvaram-me a vida”.

Não são poucas as vezes em que me perguntam se o meu trabalho vale a pena, que talvez o melhor seja não remexer nessas coisas, como se o sofrimento de um sobrevivente desaparecesse com o nosso silêncio. A minha resposta é não baixar os braços e continuar a trabalhar pelo bem-estar destes homens, a fazer parte da luta da Quebrar o Silêncio para a visibilidade de uma realidade que muitas vezes é confortavelmente esquecida. A violência sexual não são números e estatísticas, são pessoas reais, são homens que sofrem, todos os dias, muitas vezes em silêncio e com a carga de um fardo que não é seu para carregar.

A violência sexual não são números e estatísticas, são pessoas reais, são homens que sofrem, todos os dias, muitas vezes em silêncio e com a carga de um fardo que não é seu para carregar.

Espero que estes dois anos de Quebrar o Silêncio sejam somente o início de uma longa e frutífera caminhada, que cada vez mais homens saibam que estamos aqui e que, connosco, a sua voz será ouvida. Agradeço e acarinho o trabalho da Quebrar o Silêncio, e a possibilidade de fazer parte desta pequena, grande equipa.

Cláudia Caires,
psicóloga clínica na Quebrar o Silêncio